Explosão de nascimento de golfinhos pode estar associada ao Furacão Katrina

sábado, 01 maio 2010
Publicado em Notícias

Pesquisa constata que proporção de filhos em relação aos adultos deu grande salto após fenómeno, a quebra de 87% dos barcos de pesca da região dos EUA é uma das hipóteses.

Segundo estudo publicado na revista Marine Mammal Science, o número de nascimentos de golfinhos têm aumentado na costa dos Estados do Alabama e do Mississipi, nos Estados Unidos, desde o furacão Katrina, que arrasou o litoral sul do país em agosto de 2005. A percentagem de golfinhos bebés entre os grupos pesquisados saltou de cerca de 1% no verão de 2005, antes do furacão, para 5% no verão de 2007.

A equipe liderada por Lance Miller monitorou as populações de golfinhos nariz de garrafa naquela região, de 2005 a 2007, como parte da pesquisa de pós-graduação de Miller, na Universidade do Mississipi. Verifique o aumento da percentagem dos filhos em razão aos adultos, após o furacão, no gráfico em abaixo:

Ainda não há certeza pelos pesquisadores do que ocasionou esse crescimento, mas é especulado algumas razões. A primeira é que 87% de barcos comerciais foram destruídos com o furacão. Esse número diminuiu também a pesca no local, o que aumentou o número de peixes quer servem de alimento aos golfinhos.

 
Outro factor seria a consequência da perda de golfinhos bebés durante o furacão. Como mostra o gráfico, a percentagem desses bebés era nula. Quando os golfinhos fêmeas perdem seus filhos, podem se tornar férteis de dois meses a um ano depois. Assim, todas procriam ao mesmo tempo. Esta colisão causa um “boom” de nascimentos.
 
Os cientistas continuam colhendo dados para determinar as razões. Caso a última hipótese seja verdadeira, apenas o número de nascimentos foi grande nesse período, o que não comprova que a população de golfinhos esteja aumentando efectivamente

Ainda não há certeza pelos pesquisadores do que ocasionou esse crescimento, mas é especulado algumas razões. A primeira é que 87% de barcos comerciais foram destruídos com o furacão. Esse número diminuiu também a pesca no local, o que aumentou o número de peixes quer servem de alimento aos golfinhos. 
Outro factor seria a consequência da perda de golfinhos bebés durante o furacão. Como mostra o gráfico, a percentagem desses bebés era nula. Quando os golfinhos fêmeas perdem seus filhos, podem se tornar férteis de dois meses a um ano depois. Assim, todas procriam ao mesmo tempo. Esta colisão causa um “boom” de nascimentos. 
Os cientistas continuam colhendo dados para determinar as razões. Caso a última hipótese seja verdadeira, apenas o número de nascimentos foi grande nesse período, o que não comprova que a população de golfinhos esteja aumentando efectivamente.