Golfinho-Bouto

Golfinho-Bouto

Nome Cientifico: Inia geoffrensis

Características: O maior golfinhos-de-água-doce e bastante fácil de ver. Reconhecem-se três populações: na bacia do Orinoco, na do amazonas e na zona superior do rio Madeira, América do Sul.

As populações têm diferenças físicas menores e estão geograficamente separadas, mas poderão não ser geneticamente distintas.

O bouto associa-se frequentemente com o tucuxi, o único outro cetáceo da bacia do Amazonas e partilha por vezes as zonas de alimentação com a lontra-gigante.

A cor do corpo varia enormemente com a idade, limpidez da água, temperatura e localização.

A população dos boutos parece estar a decrescer.

Barbatana Caudal

Comportamento: O sopro pode ser pesado e alto, atingindo por vezes 2m, mas em geral é lento e vagaroso, soando como um suspiro.

A acessibilidade varia de área para área. Auge da actividade de manhã cedo e ao fim da tarde.

Pode ser visto a fazer perseguições, a dar mordidelas e a agitar a barbatana caudal.

Sabe-se que "acompanha à proa" e "acompanha no rastro do navio".

Salta ocasionalmente – muitas vezes mais de 1m de altura - e pode erguer a cabeça acima da superfície, apesar de normalmente só aparecerem à superfície o melão e o espiráculo, seguidos por parte da aresta dorsal; quando o animal está mais activo, o corpo arqueia-se mais no ar.

A maioria dos mergulhos dura entre 30 e 40 segundos.

Distribuição: Surge na Venezuela, Colômbia, Equador, Bolívia, Peru, Guiana e Brasil. Em algumas áreas, encontrado a mais de 3000km para o interior.

Mais comum nas junções turbulentas de rios e afluentes, mesmo abaixo de rápidos e perto da costa.

Na estação seca (Agosto a Novembro), confinado aos rios principais e afluentes. Na estação das chuvas (Dezembro a Junho), penetra frequentemente em matagais e canaviais, nadando entre as árvores. Quando a água baixa (de Julho em diante), os níveis podem descer até 10m e os golfinhos ficam por vezes aprisionados em pequenos lagos.

Procure bandos de andorinhas-do-mar, associados frequentemente com zonas de alimentação.

Alimentação: peixe – Krill ou outros crustáceos

Pagina Anterior