Golfinho-Vulgar

 

 

Golfinho-Vulgar

Nome Cientifico: Delphinus delphis

Características: macho (até 2,50m) e fêmea (até 2,30m); 75-85kg; linha lateral e dorso pretos; flancos cinzento-bege; ventre claro. Região maxilar em forma de bico comprido e pontiagudo. O Golfinho-vulgar varia tanto na aparência que ao longo dos anos foram propostas mais de 20 espécies. Actualmente só se reconhece uma, apesar de haver 2 formas distintas – os bicos curtos e os bicos compridos – às quais poderá em breve ser atribuído o estatuto de espécie.

 

Podem ser confundidos com golfinhos riscados, golfinhos fiandeiros, golfinhos malhados e golfinhos malhados do Atlântico, mas o elaborado padrão em ampulheta com linhas cruzadas do Golfinho-vulgar é uma boa característica identificativa. Há apenas diferenças subtis na cor dos sexos.

 

Apesar de haver provas de um declínio populacional no mar Negro, no Mediterrâneo e no Pacífico oriental tropical, continua a ser um dos cetáceos mais abundantes, elevando-se o seu número provavelmente aos milhões.

 

 

Barbatana Dorsal

Acrobata Ágil: Os Golfinhos-Vulgares são extremamente enérgicos e acrobáticos, e pode parecer que passam tanto tempo fora da água, a "saltitar" ou a saltar, como o que passam escondidos sob a superfície. Este golfinho foi fotografado na baía de Monterey, Califórnia, EUA.

Comportamento: Encontrado com frequência em grupos grandes e activos: os saltos e as pancadas na água podem ser vistos, e até ouvidos, a uma distância considerável.

É frequente vários membros de um grupo emergirem ao mesmo tempo. O tamanho de um grupo varia sazonalmente e consoante a altura do dia. Os animais formam uma aglomeração cerrada quando assustados.

Nadadores rápidos e acrobatas enérgicos. "Saltita" frequentemente, bate na água com o queixo, barbatanas peitorais, pedúnculo caudal, "acompanha à proa" e salta (às vezes dando saltos mortais).

Muitíssimo vocal: os guinchos elevados podem por vezes ser ouvidos acima da superfície.

Os mergulhos podem durar 8 minutos, mas normalmente entre 10 segundos e 2 minutos. Pode associar-se com outros golfinhos em boas áreas de alimentação e no Pacífico oriental tropical, com o atum-albacora.

Tempo de vida: provavelmente até 50 anos. Embora o Golfinho-Comum seja um dos golfinhos mais dispersos e numerosos, pouco se sabe acerca da sua vida fora do cativeiro. Os golfinhos vivem em grupos, que podem variar de tamanho em diferentes épocas do ano, consoante o alimento que encontram. Alimentam-se de lulas e peixe, especialmente peixes que formam cardumes, como as sardinhas. Os golfinhos do golfo da Califórnia seguem os cardumes de sardinhas até à costa da Baixa Califórnia no fim da Primavera, e em Agosto os golfinhos já estão reunidos nas águas mais frescas do canal de Ballenas. No Verão, ao largo de Gibraltar, no Mediterrâneo Ocidental, enormes grupos de golfinhos seguem atuns migrantes através do estreito até ao Atlântico. Nos fins do Outono, quando as sardinhas desovam ao largo da costa continental do golfo da Califórnia, os golfinhos seguem-nas para se alimentar. Os golfinhos reproduzem-se provavelmente durante todo o ano, mas como a maior incidência na Primavera e no Verão, as fêmeas estão grávidas durante 10-11 meses, e as crias, com cerca de 84cm de comprimento à nascença, estão geralmente prontas a procriar quando atingem 1,80m e 6 ou mais anos.

Distribuição: Amplamente distribuido por todos os mares, excepto os polares, apesar de aparentemente existirem muitas populações diferentes. Encontrado em muitos mares fechados, tais como o mar Vermelho e o Mediterrâneo . Talvez menos comum no Oceano Indico. 

 

Presente em algumas áreas durante o ano inteiro, mas muitas populações parece terem movimentações sazonais e auges de abundância locais em diferentes épocas do ano. 

 

Encontrado em geral onde a superfície da água tem entre 10º e 28º, limitando a distribuição a norte e a sul da área, mas pode seguir correntes quentes para lá da área normal. É menos frequente vê-lo em águas com menos de 180 m. 

 

Surge na plataforma continental , em particular em áreas onde o leito do mar tem relevos altos, mas sobretudo ao largo.

 

Reprodução: A maturidade sexual ocorre pouco antes dos 3 anos de idade, e a época de reprodução coincide com a Primavera e o Outono. Os períodos entre um acasalamento e outro variam em pouco mais de 1 ano. O período de gestação vai de 10 a 11 meses, após o que nasce uma cria com cerca de 80 cm. As crias só se tornam independentes com 1 ano de idade.

 

Estado Actual: Não globalmente ameaçado. Contudo, está em perigo de extinção no Mar Negro, Mediterrâneo e Pacífico Leste Tropical. Capturas acidentais em redes de pesca, capturas intencionais, poluição dos oceanos e distúrbios humanos são as principais ameaças a que estão sujeitos. Os maiores massacres provavelmente já sofridos por esta espécie ocorreram no Mar Negro, quando as companhias de pesca russas e turcas capturavam deliberadamente mais de 100 mil animais por ano. Com o passar do tempo, esta população foi declinando e a captura foi diminuindo, até que os dois países interromperam a caça em 1988.

 

 

 

 

Alimentação: Peixes (anchovas, eperlanos, sardinhas), cefalópodes (Lulas e Polvos).

 

 

Pagina Anterior 

50m) e fêmea (até 2,30m); 75-85kg; linha lateral e dorso pretos; flancos cinzento-bege; ventre claro. Região maxilar em forma de bico comprido e pontiagudo.