Golfinho-Malhado-Pantropical

 

Golfinho-Malhado-Pantropical

Nome Cientifico: Stenella attenuata

Características: O Golfinho-Malhado-Pantropical possui um corpo "elegante". O seu ventre é cinza claro e o manto dorsal bem destacado é escuro, quase negro. A principal característica destes animais são as manchas (pintas) que eles possuem por todo o corpo, na região ventral as manchas são um pouco mais escuras e no manto dorsal as manchas são claras, quase brancas. Ao nascer o Golfinho-Malhado-Pantropical não possui as famosas manchas, que vão surgindo de acordo com o crescimento do animal.

As suas nadadeiras são escuras, quase negras, sendo a dorsal alta, falcada e localizada no meio do corpo. O seu bico é curto, possui uma coloração escura, quase negra, na região dorsal, a região ventral do bico é branca e costuma ser uma das primeiras áreas onde surgem as manchas. Os lábios ou linha da boca e a ponta são brancos. Uma linha negra bem fina surge da base do melão (testa) e se prolonga até o olho onde começa a alargar, contorna todo o olho do animal como se fosse um par de "óculos" e se prolonga um pouco mais, quase alcançando as nadadeiras peitorais.

O tamanho, a forma e a cor do Golfinho-Malhado-Pantropical podem variar grandemente .

Reconhecem-se duas formas principais : uma que vive ao longo da costa e outra ao largo . A forma costeira é maior, mais robusta e tem mais manchas. A maioria dos animais adultos pode ser identificada pelas manchas, apesar de estas estarem virtualmente ausentes em certas populações, como é o caso no Hawai e no golfo do México. Pode ser confundido com o roaz-corvineiro e com golfinhos-de-bossa, que também podem ter algumas manchas, podendo ser muito difícil distingui-lo do golfinho-malhado do Atlântico.

É provavelmente um dos cetáceos mais comum , apesar de, desde o início dos anos 60, capturas acidentais em redes de pesca de atuns-albacora terem reduzido até 65 % algumas populações no Pacífico oriental tropical.

Outro nome dado: Golfinho-pintado-pantropical ou Golfinho-Raiado.

Barbatana Caudal

Barbatanas Dorsais 

Variações cromáticas: A quantidade de manchas varia com a idade e a localização. Os jovens desenvolvem manchas escuras na parte inferior, seguidas de manchas claras na parte superior; com a idade, estas aumentam em número e tamanho. Alguns animais mais velhos têm tantas manchas que a cor de base mal se vê e o dorso pode ser tão claro que são alcunhados de " dorsos de prata ".

Comportamento: Costuma viver em grupos de aproximadamente 100 indivíduos. São animais ágeis, costumam surfar as ondas produzidas pelas embarcações e dar alguns saltos.

Nadador rápido e enérgico , dá saltos longos e pouco fundos. "Salta" com frequência , lançando-se por vezes bem alto no ar, onde parece ficar suspenso antes de tombar com uma pancada.

Associa-se muitas vezes a Golfinhos-fiandeiros e a atuns-albacora e é visto frequentemente em locais onde aves marinhas se estão a alimentar.

É comum dar " batimentos caudais " e " acompanhar à proa ", mas nas áreas de pesca ao atum, muitos indivíduos fogem das embarcações.

Dimensões: O Golfinho-pintado-pantropical pode atingir até 2,60m de comprimento, sendo os machos um pouco menor, com comprimento total máximo de 2,40m e pesar em torno de 120kg. O filhote nasce medindo aproximadamente 85cm.

Alimentação (Dieta): O Golfinho-pintado-pantropical se alimenta de pequenos peixes e lulas epipelagicos, ele se alimenta preferencialmente durante o dia.

Distribuição: É uma espécie rara no Brasil, porém, é a espécie de golfinho abundante no oceano Pacífico tropical. Para o estado da Bahia existem alguns poucos registros de avistagem e apenas um registro de encalhe de um jovem no dia 24 de Dezembro de 1998.

Ameaças: As principais ameaças ao Golfinho-pintado-pantropical são as Redes de pesca, principalmente as utilizadas na pesca comercial do Atum, trata-se da espécie de golfinho mais capturada por estas práticas por ter o hábito de se associar a grupos de Atuns. A poluição dos mares também ameaça o Golfinho-pintado-pantropical.

Pagina Anterior