Golfinho-de-Commerson

 

Golfinho-de-Commerson

Nome Científico: Cephalorhynchus commersonii

Características: Animal notável e relativamente fácil de identificar no mar. O corpo pequeno e robusto lembra mais um boto do que um golfinho, mas o comportamento activo é sem dúvida o de um golfinho.

À nascença é cinzento, branco e castanho; com a idade desenvolve uma coloração em que o preto e o cinzento predominam e que se torna nitidamente preta e branca quando é adulto.

Os indivíduos variam consideravelmente entre si, em particular na extensão das zonas pretas e brancas.

É possível distinguir os sexos pela mancha branca na parte inferior que, nos machos, tem a forma de uma gota de água e nas fêmeas, a de uma ferradura.

A população em redor da ilha de Kerguelen, no Indico, está geograficamente isolada, e pode formar uma subespécie; a maior parte dos indivíduos é maior do que os animais sul-americanos e é preta, cinzenta e branca.

A captura do Golfinho-de-Commerson no Chile e na Argentina, sobretudo para ser utilizado como isco na pesca do caranguejo, pode constituir uma série ameaça.

A este golfinho pode-se também chamar: Golfinho-pio .

Barbatana Caudal

Barbatana Dorsal

- bordo anterior pode ser longo e direito / maioria tem lobo levemente côncavos

- ponta menos arredondada em alguns indivíduos

Comportamento: Nadador rápido e activo à superfície ou acima dela. Salta com frequência, mesmo várias vezes de seguida.

Em algumas ocasiões visto a nadar de barriga para o ar e rodopiando debaixo da água sobre o eixo longitudinal; pode fazer "surf" numa ondulação forte e mesmo na rebentação mais perto da costa.

Devido ao extravagante padrão comportamental natatório é difícil prever onde vai emergir. Normalmente respira 2 ou 3 vezes antes de mergulhar durante 15 a 20 segundos.

É frequente "acompanhar à proa" ao longo ou atrás de barcos. Às vezes visto com golfinhos de Peale, golfinhos-negros do Chile e botos de Burmeister.

Algumas populações podem manter-se em territórios bastante bem definidos. Alimenta-se provavelmente no leito do mar ou perto dele.

Distribuição: A sua distribuição parece ser contínua ao longo das costas sul-americanas, da península de Valdez, Argentina, até à Terra do Fogo. Surge também nas águas chilenas, para sul de 51 º S, e em torno das ilhas Malvinas e da ilha Kerguelen, e há também registos dispersos de águas a sul da Terra do Fogo. Um registo anterior da Geórgia do Sul é duvidoso. Parece ser mais comum no sul da Terra do Fogo, em volta das Malvinas (em especial perto de portos e de áreas naturalmente protegidas), e no estreito de Magalhães.

Maioria das observações perto da costa, em águas com menos de 100m de profundidade. Encontrado ao longo de costas e em fiordes, baías e estuários; sabe-se que entra nos rios. Parece preferir zonas em que as marés se fazem sentir numa grande área. Frequentemente perto de fundos cobertos de algas.

Alimentação: krill , caranguejos, pequenos peixes (sardinhas, anchovas), cefalópodes.

Pagina Anterior