Golfinho-Cinzento

Golfinho-Cinzento

Nome Cientifico: Lagenorhynchus obscuros

Características: 1,50 – 1,70m; bico preto muito curto, barbatana dorsal bicolor, flancos cinzentos com uma grande mancha clara na extremidade do corpo.

Um dos golfinhos mais acrobáticos, o Golfinho-Cinzento é bem conhecido pelos saltos, alguns deles mortais, extraordinariamente altos.

É muito gregário e parece apreciar tanto a companhia de outras espécies como da sua própria: é visto muitas vezes com aves marinhas e associa-se frequentemente a outros cetáceos.

O tamanho do seu próprio grupo varia consoante a época do ano, reunindo-se grupos maiores durante o verão; tem tendência para se separar em pequenos subgrupos quando se alimenta, mas estes reúnem-se para actos sociais e descansar.

Os Golfinhos-Cinzentos parecem-se enormemente com golfinhos do Pacífico e, apesar de não haver sobreposição na área, alguns peritos pensam poder pertencer à mesma espécie.

É possível confundi-lo com o Golfinho-de-Peale, apesar de este ter apenas uma única faixa em cada flanco e de a face e o pescoço serem escuros. Há variações subtis no padrão de pigmentação quer entre indivíduos, quer entre diferentes populações.

Barbatana Caudal

Barbatana Dorsal

Comportamento: Muito curioso e em geral fácil de aproximar, parece apreciar o contacto com embarcações e pessoas. Sempre pronto a "acompanhar à proa".

Com vários golfinhos-oceânicos, tem 3 maneiras principais de respirar: dá um salto arqueado e um mergulho de cabeça perfeito, que pode servir para procurar aves marinhas que se alimentam; atira ruidosamente o corpo contra a superfície, depois dá "batimentos caudais" para assinalar aos outros golfinhos a posição do peixe ou para juntar o peixe no centro do grupo; e, sobretudo depois de se alimentar, dá elevados saltos mortais, rodopia e gira.

Pode saltar dezenas de vezes de seguida e muitas vezes quando um animal começa, os outros seguem-no.

Distribuição: Disseminado no hemisfério sul, mas é provável a distribuição não ser contínua: as 3 principais populações parece estarem geograficamente isoladas.

Surge à volta da Nova Zelândia, incluindo as ilhas Chatham, Auckland e Campbell; sul de África; e América do sul, incluindo as ilhas Malvinas.

É uma visita pouco frequente a sul de Valparaíso, Chile, e a sul da península de Valdés, Argentina (apesar de ser frequente na própria península). Surge também à volta da ilha de Kerguelen, no sul do oceano Índico. Alguns registos não confirmados ao largo da costa da Austrália.

Sobretudo costeira ou encontrada sobre a plataforma continental. Algumas movimentações costa/largo, relacionadas com as estações e partes do dia. Presente durante o dia inteiro em algumas zonas.

Bastante abundante através da área.

Alimentação: anchovas, cefalópodes.

Pagina Anterior