Golfinho que nasceu no Sado aguarda nome

%PM, %23 %031 %2012
Publicado em Notícias

   foto: Pedro Narra/Vertigem Azul

O novo golfinho roaz corvineiro que nasceu recentemente no rio Sado e foi avistado pela primeira vez na passada semana, aguarda um nome. Marina Sequeira, bióloga da Reserva Natural do Estuário do Sado (RNES), admite que o nascimento traz “boas notícias para a proliferação da espécie”, enquanto Pedro Narra, proprietário da empresa de observação de golfinhos “Vertigem Azul”, perspectiva mais nascimentos para este verão, já que “é possível que mais uma fêmea esteja grávida”.
 
“É preciso uma melhor consciencialização por parte das embarcações de recreio que possam prejudicar a espécie só para terem a oportunidade de ver a nova cria”, afirma Pedro Narra, que demonstra prazer por ver a comunidade de golfinhos no Sado crescer para um número de 28 indivíduos, apesar de “dois destes não são avistados há algum tempo”. “Existem situações que são incompatíveis com a vida dos roazes no estuário do Sado”, refere o proprietário da “Vertigem Azul”, que não considera ser a fiscalização e a aplicação de multas aos transgressores a forma de mudar as práticas no rio.
 
Nos últimos seis anos, nasceram 10 crias de golfinhos roazes no estuário do Sado, sendo que oito ainda permanecem junto do grupo original.
 
“As entidades que têm jurisdição sobre o habitat dos golfinhos devem actuar de forma preventiva sobre as más condutas verificadas no rio Sado”, frisa Pedro Narra, adiantando o desejo de uma melhor consciencialização ambiental através de campanhas feitas junto da população. Por seu lado, Marina Sequeira faz alusão para a proibição da circulação de motas de água ou para a existência do regulamento de observação dos golfinhos que “oferece à população um código de conduta por que se deve orientar para não prejudicar o habitat”.
 
“Até Setembro, é possível que nasçam mais crias”, prossegue Marina Sequeira, que nos passados dois anos viu nascer quatro crias. Acerca da implementação dos corredores de navegação na foz do rio Sado, a bióloga da RNES espera que as conversações com as várias entidades com jurisdição sobre o estuário do Sado surtam efeito em tempo próximo “para que estes possam entrar em vigor já no verão de 2013”.
 
A RNES vai acolher as propostas feitas pela população para a escolha de um nome do novo roaz corvineiro até ao dia 31 de Julho, sendo que tal deve estar associado à Reserva Natural do Estuário do Sado. “Além do nome selecionado para a nova cria, outros dois vão ficar em reserva para a eventualidade de nascer mais algum golfinho este ano”, afirma Marina Sequeira. A “Vertigem Azul” propôs o nome “Sado” para o mais recente roaz corvineiro a habitar no rio Sado.