Cientista contesta inteligência dos golfinhos

sexta, 18 agosto 2006
Publicado em Notícias

JOANESBURGO - Tamanho não é documento. É o que sugere um artigo recém-publicado na revista "Biological Reviews of the Cambridge Philosophical Society". Segundo o neurologista sul-africano Paul Manger, apesar de terem cérebros super-desenvolvidos, os golfinhos seriam tão intelectualmente capazes quanto ratos de laboratório. Ou até menos.

- Coloque um animal qualquer dentro de uma caixa e a primeira coisa que ele fará será tentar escalar a parede para sair dalí. Esqueça de tampar o aquário e o seu peixinho dourado certamente pulará, na tentativa de expandir o ambiente em que vive (...) Um golfinho jamais fará isso. Repare. Nos parques aquáticos, as paredes dos tanques que separam este animais dos demais são baixas o suficiente para que eles pulem, mas eles não o fazem - aponta o cientista.

A explicação para este comportamento, segundo Manger, é simples. A idéia sequer passa pela mente pouco desenvolvida do animal.

- Golfinhos podem ser bem-treinados, mas estão longe de ser animais inteligentes. O condicionamento baseado no duo 'estimulo-resposta' é um comportamento associado a indivíduos com nível baixo de inteligência - disse Manger, lembrando que os animais, famosos por seus malabarismos, atuam estimulados pela oferta de pequenas recompensas.

Em seu polêmico artigo, Paul Manger, que é titular da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo, afirma que, apesar de grande, o cérebro dos animais não é feito para processar informações.

- O cérebro dos golfinhos é pobre em neurônios e rico em neuróglias, que são células e fibras do sistema nervoso central que sustentam e preenchem os espaços entre os neurónios e produzem calor. Ele não é feito para processar informações complexas, mas para combater as alterações térmicas a que o organismo do animal - um mamífero - é submetido a baixas temperaturas.

- Nós costumamos relacionar o tamanho do cérebro à sua capacidade intelectual. Mas é um erro acreditar que todos os cérebros funcionam da mesma forma. Quando se analisa a estrutura cerebral dos golfinhos isso fica claro - afirmou.

O golfinho é tido como um dos mais inteligentes entre os mamíferos e é tradicionalmente associado à qualidades humanas.

fonte: globo.com

18-Agosto-2006



{mos_sb_discuss:522}