Golfinho-de-Flancos-Brancos-do-Atlãntico

Golfinho-de-Flancos-Brancos-do-Atlãntico

Nome Cientifico: Lagenorhynchus acutus

Características: O golfinho-branco do Atlântico é bastante grande (2,70m máx.), robusto e muito discreto no mar.

Animal sociável, está frequentemente acompanhado por Golfinhos-focinho-branco, baleias-de-bossa e bocas-de-panela.

É possível confundi-lo com o Golfinho-focinho-branco; o golfinho-branco do Atlântico é, no entanto, ligeiramente mais pequeno e mais esguio; tem também uma mancha branca em ambos os flancos, abaixo da barbatana dorsal, alongando-se numa faixa amarelada de cada lado do pedúnculo caudal.

Pode também ser confundido com o Golfinho-vulgar, porque tem um padrão cinzento, branco, preto e amarelo aparentemente semelhante; contudo, o corpo do golfinho-branco do Atlântico é mais robusto, o bico mais curto e não tem nos flancos o característico padrão com ampulheta.

Outros Nomes: Golfinho-de-Flancos-Brancos-do-Atlãntico .

Barbatana Caudal

Comportamento: Acrobático e nadador rápido. Salta frequentemente (mas menos do que o Golfinho-Focinho-Branco ou o Golfinho-Vulgar) e dá "batimentos caudais".

Emerge para respirar todos os 10 a 15 segundos, quer saltando claramente da água, quer furando apenas a superfície e formando uma onda sobre a cabeça.

Em algumas áreas desconfia das embarcações, mas nada ao lado de navios lentos e pode "acompanhar à proa" os que são rápidos; às vezes cavalga as ondas provocadas por grandes baleias.

Encontrado em geral em grandes grupos ao largo e mais pequenos junto à costa. Acostamentos individuais e em massa são relativamente comuns.

Distribuição: Área muito semelhante à do Golfinho-focinho-branco. No leste da área pode ser encontrado ocasionalmente, para norte, até ao sul do mar de Barents, e raramente mais para sul do que o canal da Mancha.

A ocidente, registado do oeste da Gronelândia até à baía de Chesapeake, EUA, (se bem que em geral a partir de Cap Cod, EUA, para norte); parece ser especialmente abundante no golfo de Maine, EUA e grandes grupos sobem bastante o estuário do São Lourenço, Canadá.

Em algumas áreas, possível movimentação sazonal costa/largo.

Parece preferir áreas com relevos marinhos elevados e o longo do extremo da plataforma continental.

Alimentação: Cefalópodes, pequenos camarões, arenques e outros peixes.

Pagina Anterior